Análise B3SA3 – Abril 2020

Hoje vamos falar um pouco de B3SA3, a bolsa brasileira.

Prefere assistir esta análise? Clique aqui.

Abaixo temos os demonstrativos financeiros da B3SA3 dos últimos 3 anos.

Fonte: Escola do Investidor

O primeiro ponto que chama muita atenção são as margens elevadas e estáveis (40% de margem líquida!)

Fatores que ajudam a explicar este número são:

  • O fato de a B3SA3 ser uma empresa de intermediação financeira, que normalmente possuem margens elevadas.
  • O fato de a B3SA3 ser um monopólio no Brasil. Isso garante um poder de precificação diferenciado para seus serviços.

Entretanto, ao mesmo tempo que ser um monopólio é um grande beneficio hoje, é um dos principais riscos da empresa, dado que a entrada de um eventual concorrente provavelmente machucaria bastante as margens.

O segundo ponto que chama atenção é o fato de o ROE ser baixo para a margem que o negocio gera.

O fato que explica isso é que o balanço da B3SA3 é inchado com ágios de aquisições feitas no passado, sendo a mais recente a CETIP em 2017.

Isto infla o intangível com contrapartida no patrimônio líquido, consequentemente pressionando o ROE para baixo.

Este ponto fica claro na nota explicativa abaixo, mais da metade dos ativos da B3SA3 são intangíveis.

Fonte: B3

E o terceiro ponto é o fato de a empresa aparentemente operar com níveis de solvência e liquidez adequados (Div. Líq/Ebitda de 1x).

Além da posição de caixa de R$ 494 Milhões em dez19, a conta outros do ativo circulante é basicamente aplicações financeiras, conforme a nota explicativa abaixo.

Fonte: B3

A ressalva para esta liquidez positiva é que parte destas aplicações que a B3SA3 possuí são financiadas por garantias fornecidas pelos seus clientes.

Por exemplo: um cliente operando contratos futuros precisa deixar uma margem de garantia para a B3 garantir que ambas as partes serão adimplentes.

Esta garantia é lançada no passivo circulante da B3 (está na cifra outros), funcionando como se fosse um float, dado que a empresa se beneficia de trabalhar temporariamente com um recurso que não é dela.

SETOR

Quando se fala de mercado acionário, sempre relembramos que existe muito recurso investido em caderneta de poupança.

Infelizmente para o investidor médio (e felizmente para os intermediadores financeiros), a caderneta ainda é o “investimento” favorito dos brasileiros.

São mais de R$ 500 Bilhões de potencial de recursos que poderiam migrar da caderneta de poupança para o mercado acionário.

Fonte: B3

Uma eventual migração destes recursos beneficiaria muito a B3, dado que isso se traduziria em mais operações e consequentemente mais receita para a bolsa brasileira.

Outro ponto importante é a questão da recente redução das taxas de juros no Brasil.

Quando o custo de oportunidade do dinheiro diminui, os investidores precisam assumir mais risco para ter um retorno maior, e isso beneficia a B3SA3, dado que ela intermedia estes investimentos de risco.

A figura abaixo mostra a correlação negativa entre queda de juros e aumento de investimentos de risco.

Fonte: B3

MODELO DE NEGÓCIOS

A principal fonte de receita da B3SA3 são as operações de renda variável (43%), seguido de operações de juros e outros futuros (23%), seguido de operações em balcão (17%) e outros (17%).  

Fonte: B3

O ano de 2019 foi um ano bastante positivo para a B3SA3 dado o cenário de otimismo que estava instaurado nos mercados.

Isso se traduziu em aumento de alguns indicadores de performance importantes, como exposição de carteira de fundos em ativos de risco, número de IPO’s, número de investidores e ADTV (Average Daily Trade Volume, ou o volume médio de negociação diário).

Fonte: B3

No final do ano passado, a B3SA3 soltou um guidance para o ano de 2020 de algumas métricas de custo, alavancagem e remuneração para os acionistas.

Provavelmente estes números sofrerão revisão dado a mudança no cenário macroeconômico.

Um ponto que chama atenção é o payout (dividendo/lucro) elevado, maior que 100%.

Como isso é possível?

Isso se dá pelo fato que parte desta remuneração é feita através de recompra de ações.

Se você não consegue entender como isso funciona, confira essa nossa aula gratuita.

PRECIFICAÇÃO

Visando comparar os múltiplos da B3SA3 com o setor, filtramos algumas concorrentes de outros países para entender como o indicador P/L se portava perante os pares.

Escolhemos os seguintes concorrentes: Nasdaq, Bolsa da Alemanha, Londres e a ICE.

O resultado foi o seguinte.

Fonte: Escola do Investidor

Relembrando o que ensinamos na análise de LREN3, existem três drivers que movem o preço de uma ação:

  • O quanto o mercado está disposto pagar para ter acesso ao lucro da empresa;
  • O crescimento do lucro da empresa;
  • Quanto a empresa paga de dividendos

Com isso em mente, fizemos dois cenários de precificação para a B3SA3 assumindo um investimento com período de 10 anos.

Fonte: Escola do Investidor

No cenário otimista, assumimos uma retração no múltiplo P/L de 30x para 23x (mediana dos pares que encontramos), uma manutenção do crescimento histórico de 10% a.a. e do dividend yield de 5% a.a.

No cenário conservador, reduzimos as premissas de crescimento e de dividendos para 5% a.a. e 3% a.a. respectivamente.

Relembrando que não é uma recomendação de investimento, apenas conteúdo para fins educacionais.

Prefere assistir esta análise? Clique aqui.

Receba grátis nossos conteúdos exclusivos sobre investimentos

Junte-se a diversos investidores que já recebem informações valiosas sobre como investir melhor

Fique tranquilo, jamais divulgaremos seu email!

Sobre o Autor

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *